domingo, dezembro 30, 2012

(...)

Caros irmãos e irmãs
os evangelhos ajudam-nos a perceber a fé com que Maria e José acolheram o projecto de Deus e a mediação do Arcanjo Gabriel, mas apesar desta grande possibilidade, são muitos os cristãos que continuam a interrogar-se sobre quem é o pai do menino, pelo facto convido-vos a que se inscrevam e integrem as aulas de catequese tal como D.Policarpo aconselhou.
É mesmo importante acompanhar as palavras sempre pacificadoras de sua eminência neste periodo de convite ao sofrimento com paciência, pois que a faltar, livre-nos Nª Senhora de termos de conviver com as heresias dos tempos do PREC.
Como o Cardeal disse em Fátima - " O que está a acontecer em Portugal é a agonia democrática da nossa Constituição. Mas esse sacríficio levará a resultados positivos, tanto para nós como para a Europa..."
 
É preciso ter fé, e neste caso acreditar que o irmão Cavaco Silva, homem temente a Deus, seja iluminado como Gabriel na mediação que é chamado a fazer. 

Comissão Europeia confirma o grande roubo

Conforme as contas daquela comissão, desde 2008 a 2011 as verbas concedidas pelos estados dos 27 paises da UE à banca ascende a 1600 mil milhões de euros, sendo que 74% correspondem a injecções directas de liquidez ou garantias bancárias para tal efeito.
Mas só no ano que finda, 2012, o montante concedido não decresceu, posto que os dados oficiais indicam que no total representam 13% do PIB dos 27 paises da UE.
 
Em Portugal tem sido à tripa forra, pois no mesmo periodo já receberam 47,45 mil milhões, ou sejam 28% do PIB.
Entretanto em nome da austeridade o apoio à economia real caiu para 50% (4,8 mil milhões).
 
Acontece que a Grécia, Espanha , Portugal e Itália considerados à berma da bancarrota são os que menos receberam das ditas "ajudas"- aqueles que mais arrecadaram foram a Alemanha e a Grã-Bretanha e ainda anteontem a Comissão Europeia aprovou a distribuição de mais 50 mil milhões aos bancos da Bélgica, França e Luxemburgo.
 
Chama-se a isto a União Europeia da Barbuda, esmifrando os estados, para os banqueiros claro está!
 
 

Subsídios em duodécimos...

é mais uma habilideza da quadrilha que está no governo na estratégia de acabar de vez com o subsídio de férias e 13º mês. Procedimento adoptado para a função pública a merecer o apoio do invertebrado João Proença.
 
Neste momento os representantes do patronato já exigem o mesmo método para todos os outros sectores, cuja intenção já expressa é exactamente a de acabar com aqueles subsídios.
O que espanta é a despudorada postura negocial da UGT nestas questões, onde esquecendo a realidade laboral caracterizada pela sucessiva desregulação, precarização, redução salarial e o desemprego que não pára de aumentar, coloca-se na posição de quem não só aceita o empobrecimento como alinha na sua promoção.
Concerteza que não é com invertebrados destes que o Zorrinho pensa tomar o poder.

barrigadas de rir...

O PeyS está em condições de tomar o poder.

Assembleia Munícipal da Moita (1)

Na Assembleia Munícipal o Orçamento e Plano para 2013 foram aprovados pela CDU, verificando -se a abstenção do BE e o voto contra do PS,PSD e CDS.
 
Tratou-se de um orçamento inevitável, em consequência da arquitectura determinada por opções e práticas já distantes em dezenas de anos do reconhecido pioneirismo inovador e revolucionário de outrora, acrescendo no presente a actual situação económica do país, sucessivamente agravada pela politica prevalacente, que promove entre outros, um ataque generalizado ao poder local democrático.
 
Como corolário disto, foi aprovado um orçamento reduzido em mais de 2 milhões, prevendo-se um gasto de 2 milhões e 627 mil euros em juros, cujas amortizações pelo serviço da dívida contraída nos tempos "da barbuda cavaquista", a que a CDU na Moita não se alheou,(*) significam no próximo ano, 7 mil 197 euros por dia, incluindo sábados, domingos e feriados.

(*)destaca-se o dique como exemplo de um projecto sem sentido, acalentado apenas pela obcessão eleitoralista, onde foram gastos milhões para nada, encobertos por justificações absurdas e esfarrapadas por parte dos membros da CDU. De tal forma assim é, que a população da Moita ainda não conhece quanto é que lá foi gasto.



 
 
 


sábado, dezembro 22, 2012

Hoje li junto do contentor do lixo...

num pedaço de uma página de um jornal o leed - "Estado Pagou-me as Mamas"- consegui desembrulhando com a bota, perceber que se tratava de uma Petra Spínola que integrara um desses manipulados televisivos dirigidos por um gaija aberrante, que julgo chamar-se Teresa qualquer coisa, aquela locutora campeona do pregão, capaz de fazer inveja aos vendedores de banha da cobra que se tornaram famosos nos mercados medievais... por certo que a conhecem, pois é um exemplar bem sucedido do culto da futilidade.
Embora sem espanto fiquei triste - é que o estado também é meu e sabendo que tem vindo a ser destruído pelos mamões, aqueles que só mamam, só o que faltava agora é que ainda tivessem direito a terem os instrumentos para mamar, pagos pelos mesmos de sempre.

terça-feira, dezembro 18, 2012

Assembleia Munícipal da Moita - dia 21

O presidente deste prestigiadíssimo orgão autáquico fez borrada ao marcar a Assembleia para o dia  21. O homem está de facto ultrapassado, sem sensibilidade para o transcendental, provando não só desconhecer  as receitas espirituais do Prof. Bambu à base de ovos cozidos, como  até por beatos conceitos ignora o marketing apocalítico.
É estúpido marcar uma Assembleia para o dia em que o mundo vai acabar. Desta vez não vou lá, vou andar por aí ...

Em nome do Senhor

Queridos irmãos e irmãs, desejando merecer o vosso perdão por este incómodo  nesta quadra sentida e profundamente cristã - esta interrupção só acontece para solicitar-lhes que não se esqueçam de incluir nas vossas orações um  apelo ao Senhor, para que ilumine o Cardeal D.Policarpo a ter pensamentos divinos, de forma a não repetir os disparates que anualmente profere nesta quadra.
 
- Que Deus o abençõe!

Saudação

O colectivo do ArreMacho saúda a Mutualidade da Moita por não se ter deixado arregimentar na iniciativa das farmácias de luto promovida pela ANF. Tratava-se de uma luta a soar a falsête, alinhar naquilo seria apoiar quem ao longo de anos na maior das impunidades montou sofisticados sistemas, granjeando apoios politicos agora por excesso impossiveis de manter, na comercialização de medicamentos. A dita Associção Nacional de Farmácias por incapacidade dos governantes ao longo de anos, transformou-se numa coutada que hoje mediante a crise e a bitola governativa dos 8 e 80, apenas alguns, os  poderosos do sector conseguem sobreviver.
 
Mas a ponta do iceberg já é visivel. As farmácias que ao longo de um ano encerraram, os trabalhadores que perderam o empego e as muitas que existem em dificuldades,  nada têm que ver com  práticas corruptivas e negócios escuros agora em investigação, promovidos por destacados membros da ANF, agora a contas com a justiça.

domingo, dezembro 16, 2012

"É um peidinho cagádo à força"

Hoje participei na manifestação da CGTP, que se deslocou de Alcântara até Belém.
Fiquei espantado pelo espaço que nos reservaram, tão distante do Palácio, que não fosse o rio de permeio e teriam-nos empurrado para a Trafaria, acrescendo a enorme presença de polícias, anormal e invulgar nestas iniciativas. 
 
Tais procedimentos claramente intimidatórios, não só atentam contra o direito de manifestação  como feriram os sentimentos de todos os que lá estiveram, podendo-se afirmar que os manifestantes foram tratados como vândalos, como gente perigosa para a sociedade.
Por certo que a CGTP pelo facto, irá apresentar um veemente protesto.
 
Entretanto deixo o meu desabafo, é que por detrás disto está um figurão que foi primeiro ministro do célebre governo da barbuda, governo de corruptos e crápulas, figurão babáca mas perigoso, cínico e medroso, um espécime que nem sequer foi parido, um reles peidinho cagádo à força.
Foi num gaijo destes que votaram para Belém.

Na Dinastia da Barbuda e da impunidade

Em 2004 o Estado, pelos então primeiro ministro Durão Barroso e ministro da Defesa Paulo Portas comprou os já célebres dois submarinos alemães ao consórcio GSC por 1000 milhões de euros. Porque a ideia de tal compra já vinha de anteriores governos e para que ninguém dos alternantes ficasse de fora, Jaime Gama e esposa foram convidados a apadrinharem na cerimónia baptismal.
 
Este negócio/cambalacho que na Alemanha já levou a condenações, por cá embora se conheça a ESCOM com a participação do Grupo Espírito Santo posteriormente vendida à Sonangol, de onde sobressai o nome de Miguel Horta e Costa, a verdade é que o embrulho é tal que até parece que todo o negócio foi decidido e promovido por fantasmas que até levaram a papelada para o seu deconhecido reino.
Ainda há poucos dias Miguel Horta e Costa em tribunal, com declarações a saca rolhas como a juiza considerou, referiu ter havido contrapartidas fictícias cobertas por facturas na venda efectuada, acrescentando o aparecimento de outro consórcio português do ramo automóvel que veio a beneficiar do "programa das contrapartidas", ou sejam até aqui 34 milhões que voaram estando até implicados pela investigação do DCIAP e assinada pelo juiz Carlos Alexandre, sete portugueses e dois alemães.
Acontece que vai tudo acabar em águas de bacalhau, pois parece que existe um novo contrato entre a Ferrostaal e o Estado com contrapartidas viradas ao turismo, que a corresponder à revogação do anterior, pode servir de muleta para a anulação do único julgamento deste caso.
 
O interessante é que neste imbróglio, os nomes de Durão e Portas não aparecem, os 34 milhões voaram, e os  submarinos que para além dos custos  geram avultadas despesas de manutenção, ninguém sabe para que servem.
Em Portugal estamos assim em plena dinastia da barbuda e da impunidade, onde começam a faltar palavras para caracterizar a situação. 
 

sexta-feira, dezembro 14, 2012

Trabalho de grande beleza

Esculturas de papel da autoria de Calvin Nicholls
Agradeço ao amigo Joacir o envio de tão belas imagens que aqui divulgarei.

 

Fuga de pilim continua e a troica não se preocupa

Só na Suiça foram recentemente detectados mais 4 mil milhões de euros de individuos, bancos e empresas, todos protegidos por taxas benevolentes e direito a segredo - trata-se de dinheiros resultantes de lavagens e outros crimes, além do crime de fuga ao fisco.
Durão Barroso perante a pergunta que lhe fizeram sobre isto no Parlamento Europeu, enrolou a manta e foi-se embora, deixando um funcionário para dizer umas trêtas.
 
Os governantes sabem disto, até conhecem os promotores tal como os tecnocratas troicanos, nada fazem, consentem, consideram lícitas tais fugas para a Suiça e outros paraísos da golpada financeira.
Estas práticas com ânimo e apoio dos governantes, deixam-me impotente, pois eles são tantos que nem ao tiro conseguiria acabar com isto. Resta-me participar em mais uma Manifestação, amanhã dia 15, de Alcântara até Belém.
Desta vez vamos exigir ao Exmo Srº Babáca, a complexa tarefa de vetar o Orçamento elaborado pela quadrilha que dirige.
 
Mas afinal...quem é que elegeu estes gaijos?  

quinta-feira, dezembro 13, 2012

Confio em Mário Soares...

É claro que esta confiança restringe-se apenas ao que concerne à defesa das liberdades elementares, aquelas que a burguesia no prevalecente sistema nos concede no temor das conquistas que a luta pode trazer.
 
Ainda ontem o ouvi em entrevista na RTPinfo - está velhote, embora ainda lúcido está de facto fraco de memória, evidenciando-se a falha quando se referiu à década de 80. Esqueceu que aquele seu governo (foram vários) inaugurou o desrespeito pelo salário, coisa que nem Salazar se lembrou, e houve fome nas regiões com industrias vulneráveis, dependentes da importação ou da exportação que em consequência das decisões politicas monetárias de ora para baixo ora para cima, dilacerou em quatro ou cinco anos o aparelho produtivo, sectores estratégicos da economia do país. Foi evidente em todo o distrito de Setúbal e Lisboa, seguindo o distrito de Braga - mas o recurso aos salários em atraso, ao encerramento fraudulento (e impune) de empresas, então vulgarizou-se não sobrando região sem exemplos disto.
É verdade que a actual situação não tem comparação possível, mas Mário Soares ao invocar que só um Bispo descobriu que então havia fome, apesar da candura do estilo, mostrou bem o homem cínico e hipócrita que nunca deixou de ser. Bastava transcrever aqui o discurso da sua esposa na cerimónia de reconhecimento ao Bispo D. Manuel Martins quando saiu da diocese de Setúbal, para se perceber que é justa esta caracterização.

Mesmo admitindo que as suas opções politicas de então assentavam numa visão idilica da Comunidade Europeia/UE, a verdade é que recorreu ao FMI sem atender a outras alternativas então viáveis para a superação da crise, usando a boleia para moldar a estrutura económica do país à aventura de uma entrada fácil na CEE, de apenas consumidores de excedentes dos principais patronos da dita comunidade. A soberania foi atirada ás malvas, com comissões, secretários e ministros de calcinhas em baixo, de cu para cima e de cócoras a negociarem a respectiva integração.

Apesar de tudo reconheço que é um democrata, ficando por isto a aguardar opinões mais convincentes para uma solução de esquerda e patrótica. 

domingo, dezembro 09, 2012

Durão Barroso

Esquecido de que foi ministro na época da barbuda, integrando o Governo da quadrilha de Cavaco Silva  e em posterior alternância, primeiro ministro, afirmou em entrevista não ter qualquer responsabilidade pela situação em que o país se encontra.
 
Mediante tamanho descaro, acabei  levado a admitir que de facto a responsabilidade é exclusiva de quem o elegeu e destes, nomeadamente os que viveram acima das suas possibilidades, isto usando as trêtas do costume. Entretanto deixo a pergunta: - Até quando em democracia teremos de suportar crápulas deste tipo? 
 

Uma excelente ideia...


sábado, dezembro 08, 2012

sexta-feira, dezembro 07, 2012

Petições...

Eu continuo a assinar todas que entendo dever fazer, no entanto começo a temer pelo excesso a sua vulgarização e consequente perca de efeito. É que apesar de quase mil anos de história e grandiosos registos de mobilizações pela soberania da pátria e do bem comum, actualmente prevalecem sinais aculturados, onde a esperteza e a corrupção propaga-se mais do que a gripe - repare-se no povão que vai a Fátima subornar Nª Senhora.
 
Salve o meu filho que está no desemprego; Cure o meu marido que tem diabetes; Dê visão à minha filha que ficou cega quando fritava peixe; Faça voltar o meu homem que anda de amores com uma bruxa - tudo com a promessa de cordões, aneis de ouro, maços de notas mais a velinha, quando não é uma velona. 
 
A corrupção à portuguesa, é assim o resultado desta interiorização "cultural".
Já agora! Nª Senhora ajude-me a comprar um carro, é que vão acbar com o comboio das 23:40.

Petição Reposição do ultimo comboio 23:40 em Praias Sado A



Para:CP - Comboios de Portugal; Assembleia da República; Ministro da Economia e Emprego; Secretário de Estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações; Ministro da Educação e Ciência;


Com a entrada em vigor dos novos horários da CP - Comboios de Portugal, na Linha do Sado, a 9 de Dezembro de 2012, o ultimo comboio será realizado às 22:40H em Praias do Sado A, sendo suprimido definitivamente o comboio das 23:40H nesta estação (apeadeiro). 
Os estudantes do Instituto Politécnico de Setúbal do regime nocturno, bem como outros, que utilizam esta linha por não existir outro tipo de transporte público que sirvam as localidades onde residem, terminam as aulas às 23:00H, sendo incompatível com o novo horário da CP para esta linha. 
Serve este abaixo-assinado para que a CP – Comboios de Portugal, coloque novamente o comboio das 23:40H no horário, para que os estudantes do IPS do regime nocturno e não só, possam ter forma de regressar aos seus lares, sem terem de faltar às disciplinas que terminam às 23:00H. 

IMI no Concelho da Moita

Os nossos investigadores descobriram que no processo de avaliações que decorre sobre a batuta das finanças, existem casos em que o valor a pagar corresponde a três, quatro e até cinco vezes, do valor que antes pagavam.
 
Facto que demonstra bem, a hipocrisia dos argumentos usados pelos membros da CDU na última Assembleia Munícipal, para justificar a manutenção dos índices percentuais das taxas existentes - a Câmara vai arrecadar de três a cinco vezes mais, à palma de um imposto brutal, como o PCP o considerou após a decisão do Governo.
Contradições?  Eleitoralismo? Mais uma frota?
 
 

quinta-feira, dezembro 06, 2012

Emergência

Vive-se na emergência de uma nova era a envolver toda a humanidade, onde o combate que já se trava é para impedir a tentativa de retrocesso civilizacional. Portugal está entre os países onde os sinais são mais evidentes, percebendo-se que o rumo encetado pelos governantes é o de reduzir os parâmetros de vida da maioria dos portugueses, pois o objectivo é a sobrevivência do actual sistema, exactamente aquele que provoca as crises ao serviço de uma minoria.
 
Mediante isto, é estranho observar a tanta gente distinta com elevada formação, definhando-se em posições e discursos ôcos, distantes da vida, a distrairem-se e a distrairem como se não estivessemos em estado de emergência, em risco de um futuro sinistro.

Cá por mim, lá estarei na manifestação de 15 de Dezembro.

terça-feira, dezembro 04, 2012

Guterres de botins...

Ele que nunca se borrou no "lamaçal", hoje com os botins descalçados e lá distante, reconhece-se como um dos responsáveis pela bronca em que o país se encontra. Tamanha e louvável candura esta, não frequente, inédita nos políticos eleitos, como alguns comentadores em bajulíce já consideram.
 
Trêtas e hipocrisia, digo eu, certo que estou que já está disposto a calçar os botins para voltar ao "lamaçal", hoje pelos seus e os alternantes transformado em pestilenta esterqueira que atenta a saúde pública - o que a ele pouco importa, pois a trampa não vai chegar ao Palácio de Belém, à Presidência da República que tanto anseia.

Dia 15 Manifestação em Lisboa

Porventura será o primeiro dia
da desordem social organizada
Quem não tiver meios para se deslocar ou dinheiro para os transportes, organize-se em grupo e utilizem os autocarros, comboios e barcos sem pagar.
Estão em causa a defesa das nossas vidas, o regime democrático e a soberania da pátria.
 
Tal procedimento a que alguns na vidinha do bembom, se apressarão a considerar de crime organizado, não só não é comparável aos crimes cometidos pelos amigos de Cavaco Silva, como estará longe de gerar tamanhos prejuizos.

Em defesa das funções sociais do Estado consagradas na Constituição da República


Petição

As funções sociais do Estado são indissociáveis da qualidade de vida dos cidadãos e do desenvolvimento do país. Foi com o 25 de Abril de 1974 que a generalidade das pessoas idosas passou a ter direito a pensões e reformas; foi construído um Serviço Nacional de Saúde assente na universalidade e qualidade, que permitiu ganhos substantivos em saúde, como o aumento da esperança de vida e a redução da mortalidade infantil; democratizou-se o ensino, foi prolongada a escolaridade obrigatória e desenvolveu-se o acesso gratuito a todos os níveis de ensino. 

Estas funções sociais estão a ser postas em causa pelas políticas de austeridade do Governo do PSD-CDS. O anúncio de uma redução de 4.000 milhões de euros na Saúde, na Educação e na Segurança Social, a concretizar-se, porá em causa o próprio Estado Social. 

Portugal não está, apenas, confrontado com um problema de ordem financeira, mas, sobretudo, com uma questão marcadamente ideológica de subversão da C.R.P. no que respeita a direitos, garantias e princípios, nomeadamente os que consagram a coesão social e o bem-estar das pessoas. 

É necessário sublinhar que o Estado Português está abaixo da média europeia no que respeita a gastos com as funções sociais, embora essa realidade seja frequentemente deturpada. É ainda necessário ter presente que a destruição das funções sociais do Estado e a privatização dos serviços públicos, a par do aumento do desemprego, da precariedade, de salários cada vez mais reduzidos e do agravamento das condições de vida da população, fariam eclodir desigualdades sociais ainda mais profundas e explodir rupturas sociais gravíssimas. 

O país não está condenado à espiral de recessão, empobrecimento, e também à fome que já atinge as famílias, crianças e idosos. Por estas razões, os/as subscritores/as da presente Petição, que pagam os seus impostos e contribuições, exigem que os princípios da universalidade e da solidariedade dos Serviços Públicos e das Funções Sociais do Estado sejam respeitados, tal como a Constituição da República consagra. 

Os peticionários consideram indispensável uma mudança de política urgente que assegure o crescimento e o desenvolvimento económico, aposte na produção nacional, crie mais e melhor emprego, promova uma justa distribuição da riqueza e garanta a defesa e melhoria das Funções Sociais do Estado.

domingo, dezembro 02, 2012

O Palácio de Belém está vazio

Consequências do Orçamento de Estado
Cavaco bazou, deu de frosques, nem em Boliqueime o encontram - se alguém o encontrar convença-o a desaparecer, e para que não se suicide, que se dedique à pesca, entre em penitência.

sexta-feira, novembro 30, 2012

XIX Congresso do PCP

O colectivo do ArreMacho saúda o XIX Congresso do PCP, com a certeza de que a luta continua, e de nas andanças a que tal obriga nos encontrarmos sempre. 

O Conselho Europeu reuniu ... nhã, nhã, nhã.

É prevísivel a continuação dos adiamentos, ou seja, mais espaço para dúvidas e receios em proveito da usura financeira, o deus mercado - acumulam-se contradições fruto de jogos e chantagens.
Calculo que a questão do orçamento comunitário acabará adiada lá para Maio, isto a par do adiamento da tranche para à Grécia e de muitos outros adiamentos, nomeadamente relativos à União Bancária, são factos a demonstrar bem que o último Conselho Europeu serviu apenas para irem passear a Bruxelas, pois de concreto apenas saiu, nhã, nhã, nhã.
 
Com evidência, apenas sobrou a chantagem do Reino Unido em relação ao Orçamento, que fazendo jus à sua habitual postura europeia, de um pé dentro e outro fora, mais uma vez pelas suas exageradas e distanciadas propostas, parece mesmo preparar-se para sair da UE, ou seja, contribuir para a implosão desta estrutura comunitária, cada vez mais debilitada.
 
Com políticos destes e politicas destas, mesmo nos países mais ricos. Todos iremos perder!
 
 

segunda-feira, novembro 26, 2012

Amanhã, na Assembleia da República

É importante a presença em mais esta iniciativa da CGTP-IN. Estar lá é um acto patriótico, é juntar-se áqueles que lutam para travar o caminho para o abismo.
Desta vez não vou lá estar,  situações complicadas impedem-me de cumprir esta ordem do meu estado maior, a CGTP-IN.

domingo, novembro 25, 2012

(...)

Bento XVI e o seu Presépio
 
Na sua cruzada moralizadora e contra os relativismos que o leva a pôr tudo em pratos limpos, exactamente como fez com o mordomo, que se encontra em prisão domiciliária por ter dado à dica, veio agora  pôr no olho da rua, fora do barraco, o burro e a vaca - repare-se que até o burro que transportou Maria já em dores de parto, esfalfado pela esforçada e clandestina caminhada, sem sequer forças para zurrar, não tem direito a lá estar, mostrando bem que nos dias de hoje até o Papa cultiva a ingratidão.
Entretanto e apesar de óbvio, é estranho que Bento XVI no seu esforço pela verdade, não tenha aproveitado o ensejo para de uma vez por todas esclarecer o papel de S.José, ou seja, sobre quem é o pai da criança, isto porque manter a ideia que o bébé foi obra do Espirito Santo, mantém na memória de todos a ideia de que o carpinteiro por amor e generosidade, não só criou o filho de outro como não teve direito a nada, pois Maria manteve-se sempre virgem. A provar está o facto de o Espirito Santo não ser um um pombo, pois conheço até um que é pai de três filhos.
 
A nova de Bento XVI, ao fim e ao cabo vai acabar por ter efeitos nefastos na economia, nomeadamente nos sectores pecuário e de lacticínios em resultado da desqualificação senão mesmo diabolização da Vaca, como há milénios o profecta diabolizou a espécie suína, fazendo com que os muçulmanos nunca mais comessem carne de porco.
 
- Sempre, com a benção de Deus.
 
 
 

sábado, novembro 24, 2012

Discussões da Trêta

Ontem na Assembleia Munícipal
Tal como previra, a discussão sobre o imposto munícipal sobre imóveis (IMI) por falta de informação das finanças e atraso na reavaliação, que vai em cerca de 30%, não permitindo qualquer previsão acertiva, transformou-se numa sucessão de disparates na definição do valor das taxas a aplicar aos munícipes.
O PS e o BE, partindo da ideia, que o IMI por imposição do governo vai ter um aumento brutal, tal como o PCP também considera, optaram por propôr uma pequena redução das taxas a aplicar - propostas que acabaram chumbadas pela CDU e pelo PSD.
 
No entanto é de registar o volume de disparates desnecessáriamente acintosos  a que os membros do PS e nomeadamente os da CDU recorreram - elegeram o slogan "em nome da coerência", e vai daí desfiaram referências comparativas entre Concelhos, esquecendo a regra primária de que é impossível adicionar ou subtrair alhos e cebolas, isto quando se conhece que a bitola da gestão autárquica não é nem nunca foi similar nos executivos com a mesma côr politica. Deste modo é inaceitável, já enjoa - se por um lado a argumentação dos membros do PS assenta num cenário de falta de memória, falando até como cidadãos sem partido, por outro, é lamentável que alguns membros da CDU ao espicaçar-lhes a memória, usem termos como se ali estivessem ex-ministros, secretários de estado ou gente de uma quadrilha de corruptos.
 
A mesma dose foi repetida na discussão do Lançamento da Derrama, facto ainda mais estúpido, tendo em conta a natureza do imposto e  a situação que se vive, onde vão ser cada vez menos a pagar.
 
No meio daquele chorrilho de disparates, estiveram bem o Presidente da Câmara, a Mesa da Assembleia e os membros do BE, ao não se envolverem - é que um dia destes com tal vivência democrática, uma simples saudação arrisca ser um acto de hipocrísia.

quinta-feira, novembro 22, 2012

Dia 23/Nov. - Assembleia Municipal da Moita

Trata-se de uma extraordinária motivada pelos novos contornos do IMI promovidos pelo governo. Objectivos que não se entendem, pois qualquer aumento deste imposto não reverte para a diminuição da dívida pública, nem tem qualquer influência directa no indíce do déficit.
Nisto, apenas sobra a ideia de que o governo inesperadamente virou generoso para as autarquias - facto que espanta, ao ponto de se desconfiar de tanta fartura. O mais certo é o governo vir a cortar em outras valências, de qualquer forma a CDU prepara-se para dar continuidade aos objectivos do governo, ou seja, continuar a esmifrar os mesmos de sempre.
 
Relativamente ao IMI, aquela  Assembleia já acolheu recomendações nos ultimos três anos, no sentido de o executivo actuar conforme a lei, ou seja, por forma a um levantamento detalhado e caracterizador de todo o parque habitacional do Concelho, mas como tal trabalho ainda não foi feito, nem parece existir vontade de o fazer, vão mais uma vez discutir o IMI, ainda por cima pelo que agora o motiva, deixando todos os membros da Assembleia desarmados, talvez a discutir o sexo dos anjos, mas sempre distantes da hipótese de acerto com a realidade.

Já a CDU Moiteira, parece não se importar com nada disto, assentando o seu cálculo no oportunismo, optando por cumprir o que o governo quer.

Hoje começou a grande reunião na União Europeia

Aquilo vai reduzir-se a um simples jogo tradicional, o "Jogo da Corda", embora seja legítimo duvidar da composição das equipas - não vão faltar da banda dos mais necessitados aqueles que apenas franzem os olhos  a disfarçar a força que não fazem. Os recentes elogios ao ministro das finanças, a juntar ao estilo de menino de côro do 1º ministro Passos Coelho, está visto que se irão ajeitar e mandriar.
 
A favor da Merkel e do inglês, sonhando vir a ter apoio pela porta do cavalo, vai ser, está a ser a posição dos bandalhos que nos representam.
 

quarta-feira, novembro 21, 2012

Alguém viu por aí o Srº Pires ?...

É que hoje estive no InterMarchê e disseram-me que já há alguns dias que não aparece por lá. Para quem não sabe, é aquele que criou o slogan, "Moita Terra Amiga" e distribuia à borla bifanas de toiro bravo no dia do fogareiro, aquele que está na lista da Câmara para ser homenageado.
 
Se está doente desejo-lhe as melhoras, mas se optou por se ir embora da Moita, é sem dúvida uma perca para o Concelho - é que por cá, precisamos de dirigentes operários daquele calibre.
 
Se o encontrarem, digam-me qualquer coisa !

terça-feira, novembro 20, 2012

Pedido de Ajuda

Defronte do prédio onde habito, a senhora que lá mora com 84 anos de idade e 447 euros de reforma, recebeu a carta do senhorio a informá-la que a partir de Janeiro a renda passa de 78 para 240 euros.
Esta simpática velhinha, que nunca votou nos partidos que levaram o país a esta situação, paga 190 euros pelas refeições que lhe levam a casa, 50 a 70 euros mensalmente para medicamentos, mais a luz a água e o gaz.
 
Porque não sou um expert em economia, solicito aos sábios que aparecem na televisão, como Braga de Macedo, Pina Moura, Vitorino, Rebelo de Sousa e outros inchados da inteligência que expliquem à senhora quais as medidas que deve adoptar. Da minha parte deixo-lhes uma dica - a senhora tem quatro netos da unica filha, que se encontra desempregada, embora o genro seja um previligiado*, pois é da função pública, trabalha na Câmara e leva para casa 600 euros mensais.
 
*previligiado - conforme a definição socretina no cultivo da estupidez e inveja, irracionalidade que continua em uso pelo actual governo. 

Agora é a vez da França...

Sem espanto! era prevísivel.

Para os fura-greves: Declaração Anti-Greve



DECLARAÇÃO ANTI-GREVE:

Eu, ............................................................................................................................................................ ,
NIF . ....................................................., Trabalhador/a da empresa................................................. ,

DECLARO:

QUE estou absolutamente contra qualquer coação que limite a minha liberdade de trabalhar.

QUE, por isso, estou contra as greves, piquetes sindicais e qualquer tipo de violência que me impeçam a livre deslocação e acesso ao meu posto de trabalho.

QUE por um exercício de coerência com esta postura, e como mostra da minha total rejeição às violações dessas liberdades,

EXIJO:


1 º. QUE me seja retirado o benefício das 8 horas de trabalho diário, dado que este benefício foi obtido por meio de greves, piquetes e violência, e que me seja aplicada a jornada de 15 horas diárias em vigor antes da injusta obtenção deste benefício.

2 º. QUE me seja retirado o benefício dos dias de descanso semanal, dado que este beneficio foi obtido, por meio de greves, piquetes e violência, e que me seja aplicada a obrigação de trabalhar sem descanso de domingo a domingo.


3 º. QUE me seja retirado o benefício das férias, dado que este benefício foi obtido por meio de greves, piquetes e violência, e me seja aplicada a obrigação de trabalhar sem descanso os 365 dias do ano.

4 º. QUE me seja retirado o benefício dos Subsídios de Férias e de Natal, dado que este benefício foi obtido por meio de greves, piquetes e violência, e me seja aplicada a obrigação de receber apenas 12 salários por ano.

5 º. QUE me sejam retirados os benefícios de Licença de Maternidade, Subsídio de Casamento, Subsídio de Funeral dado que estes benefícios foram obtidos por meio de greves, piquetes e violência, e me seja a plicada a obrigação de trabalhar sem usufruir destes direitos.

6 º. QUE me seja retirado o benefício de Baixa Médica por doença, dado que este benefício foi obtido por meio de greves, piquetes e violência, e me seja aplicada a obrigação de trabalhar mesmo que esteja gravemente doente.

7 º. QUE me seja retirado o direito ao Subsídio de Baixa Médica e de Desemprego, dado que estes benefícios foram obtidos por meio de greves, piquetes e violência. Eu pagarei por qualquer assistência médica e pouparei para quando estiver desempregado/a.

8 º. E, em geral, me sejam retirados todos os benefícios obtidos por meio de greves , piquetes e violência que não estejam contemplados por escrito.

9 º. DECLARO, também, que renuncio de maneira expressa, completa e permanente a qualquer beneficio atual ou futuro que se consiga por meio da greve.

segunda-feira, novembro 19, 2012

Não percebo tanta farronca

Então a Srª Merkel não tinha já garantida
a passagem no exame da Troica?
Para quê tanta farronca, se toda à gente já o sabia.

Foi notável... disse Cavaco Silva

Referindo-se à actuação da polícia no dia 14 junto da Assembleia da República, afirmando mesmo que aqueles provocadores são pessoas que pretendem destruir a sociedade.
Já eu desde o primeiro momento que penso ao contrário, pois a polícia actuou tarde de mais. Obedecendo a quem dá ordens, teve de gramar com pedras, garrafas e petardos durante mais de uma hora.
Gostava que num hipotético inquérito alguém respondesse, porque é que foi assim?
 
Hoje sabe-se que muitos dos identificados que integravam os encapuçados estão ligados ás claques futebolistas - gente que nos estádios faz a saudação nazi e que cultiva o uso da sua simbologia.
Gente que tem apoiantes no próprio governo, que ainda há dias incomodado com o embaixador de Israel, por este ter afirmado que Salazar decretou luto nacional pela morte de Hitler em Abril de 1945, o chamou ao MNE. De facto gente perigosa que pretende destruir a sociedade como Duarte Lima, Dias Loureiro e respectivas quadrilhas.
 
Ao fim e ao cabo, tudo gente que Cavaco Silva conhece bem.

domingo, novembro 18, 2012

Estará a Democracia Representativa em causa ?

Pelo lado dos Partidos da alternância, PSD e PS, o objectivo de estoirar com a democracia representativa, é inerente à latente intenção de alterar a legislação eleitoral para se eternizarem no poder, garantindo deste modo de forma ainda mais vincada a já velha política da "pataca a mim, pataca a ti", o que para tal têm vindo em crescente a adoptar conceitos populistas, como é o caso de pretenderem a reboque da crise reduzirem o número de deputados na Assembleia da República, e ao nível autárquico, transformar maiorias relativas em absolutas, garantindo executivos monocolores nas Câmaras Municipais.
 
Pelo lado do cidadão comum, que em crescente intervém sem filiação nas instituições tradicionais, integrando  os movimentos que vão proliferando em toda a sociedade, denominados não orgânicos - está também a pôr  em causa a democracia representativa.  A evidente opção pela informalidade está a passar a perna ao que é institucional e formal, evidenciando-se práticas de democracia directa, sendo sinais importantes a contraditar as elites da governação, que se esfalfam em comentários e discursos, em que sabem tudo e falam de tudo, escudados na sobranceria do bembom da vida, onde os demais são incultos e radicais, eles, que são em exclusivo os responsáveis pelo buraco em que o país se encontra.
Todo este pulsar da sociedade é já protagonizado por milhares de pessoas, cujas vidas explicam o país real, transportando consigo as necessidades, os anseios e a exigente construção colectiva de soluções. 
 
Na Convenção do BE, observou-se à interiorização da importância dos movimentos sociais, como factor determinante para a revitalização do processo democrático, como condição essencial para a busca de soluções. Mediante isto, desejo que também o PCP no seu próximo Congresso, sem beliscar a sua estrutura e funcinamento orgânico, valide até pela sua experiência em frentes unitárias, a real importância de todos estes movimentos sociais, pois penso que toda a esquerda se fortalecerá.
 
Na actual e prolongada conjuntura, acredito que Marx escreveria :
- Proletários e todas as pessoas de boa vontade no mundo. Uni-vos!

Ajeitam-se para mais uma guerra...

Os acontecimentos ajeitados do médio oriente, que nada têm que ver com os anseios dos palestinianos e dos israelitas, sendo espremidos, fornecem apenas um cenário de preparação para uma bronca, em que o objectivo é o Irão.
 
É de temer o aventureirismo e a irracionalidade que poderão advir de tal contenda, infelizmente mais uma vez com o apoio dos STATES, beliscando deste modo e em definitivo a esperança e a harmonia, deixada pela reeleição de Obama.

Para os europeus e nomeadamente para nós, mais um aperto no preço do pitroil e acaberemos quilhados, tendo em conta a vocação subtractiva dos nossos bolsos do actual ministro das finanças. 

quinta-feira, novembro 15, 2012

Um alarve feliz

Observei e registei a alegria e o triunfalismo de Passos Coelho ao informar sobre as propostas de quem pretende comprar a TAP e a ANA. Um alarve feliz por estar a vender o seu país.

Afinal ?!...

A justificada intervenção da polícia ontem junto da Assembleia da República, porque a destempo, parece que serviu para muito pouco,  pois se por um lado a elogiada eficácia despoletou maior vandalismo, por outro, os encapuçados principais promotores da prolongada provocação não integram os nove detidos, dos quais apenas dois ou três pertencerão ao grupo dos petardos e das pedradas, os demais eram pessoas que lá estavam a mais de duzentos metros, que nada tinham que ver com aquele fadário provocador.

A Luta Continua

A Greve Geral funcionou como antidoto à endémica subserviência dos governantes e respectivas elites apoiantes, nada melhor após o triste espectáculo a que se assistiu na visita relâmpago da Srº Chanceler, a tal que já não consegue disfarçar o sonho de vir a ser a 1ª Presidente da virtual Federação dos Estados Europeus.
 
Esta visita serviu apenas para cumprir o calendário pré-eleitoral da Srª Merkel, pelo facto, foi triste observar à bajulíce a que os nossos governantes se dispôem, posto que nada de concreto se vislumbrou além dos slogans de fé, verbalista, como aquela de vir um dia cá passar férias.
 
A Greve Geral foi assim o antídoto, a combater a humilhação, a peste a que os actuais governantes pretendem condenar Portugal e os portugueses.
 
Foi uma enorme manifestação a demonstrar o repúdio pela actual politica, que ultrapassou em muito o número dos aderentes, pois decresceu o número daqueles que sempre desdenharam de tais iniciativas, pessoas que mesmo assim não aderiram, não apenas por se tratar da perca de um dia salário, mas por outras e complexas razões, destacando-se infelizmente o medo de ficarem marcadas, de serem despedidas - sentimento que tive ocasião de registar no Fórum do Montijo, do Barreiro, Almada e nos hipermercados deste Concelho.
 
A esperança ainda não se vislumbra, mas está ao nosso alcance. Pois a Luta Continua!
 
 
 
 

quarta-feira, novembro 14, 2012

Interrompo a Greve ...

A violência junto da Assembleia da República motiva esta interrupção. O tema está a secundarizar a importância da Greve Geral, servindo que nem ginjas os interesses dos governantes.
 
Cavaco Silva referiu-se á greve como uma chatíce consignada na Constituição; Passos Coelho sem distanciamento elogiou os que não aderiram, fazendo-o com gozo e arrogância - um e outro, acrescentaram condimentos ao caldo da violência. Atitudes próprias de gente sem estatura e dimensão de estado.
 
Sendo verdade que após a intervenção da CGTP-in começaram as provocações à polícia por parte de um grupo já sobejamente identificado (10 a 20 individuos, alguns de cara coberta), foi estranho a polícia não ter reagido logo que o tal grupo começou a derrubar as barreiras, pois deste modo teria sido mais fácil isolar e deter os provocadores, evitando a carga que se verificou, onde foram agredidas pessoas que se encontravam a mais de 200 metros.
 
Também o tempo de espera, de sacrifício mediante garrafas, pedras e petardos atirados, foi muito estranho, como também o facto de o aviso prévio que foi feito não ter sido ouvido por ninguém, fazendo lembrar a preparação da cena de um filme, ou seja, do filme que a CNN transmitiu em directo para todo o mundo. Vá-se lá saber ao serviço de que interesses?
 
Desconfio mesmo que as palavras do Srº Ministro Macedo, têm duas leituras...
 

Greve Geral


segunda-feira, novembro 12, 2012

Estive na Praça de Camões

Lembrei-me do Tratado de Tomar, estabelecido em 1591 - concluindo que apesar de tudo e da manifesta e legitima tristeza de Camões, que anos antes já previra altos riscos para a soberania da Pátria, o Tratado resultou num acordo bem melhor negociado e bem mais digno, que esta merda que nos arranjaram à sombra da europa connosco, da união europeia e das virtuais virtudes do euro.
 
Estive lá e percebi - o pessoal da CGTP preferiu marcar apenas presença simbólica, arredando-se de aventuras gratuitas - não só está uma Greve em preparação, como exactamente os principais responsáveis pelo 31 em que nos encontramos, estão cá e são de cá.
 
Orgulho-me de integrar organizações que abominam a bajulíce - ao invés daquilo que hoje se observou nos nossos governantes, na hierarquia da igreja, em alguns empresários e nomeadamente nos banqueiros. A bajulíce, a subserviência e a lambuzisse condensaram-se em baba nojenta, nos rostos e pelos beiços dos governantes quando a Srª Imperatriz, disse acreditar que Portugal irá cumprir o Acordo da Troica.   
 
 

domingo, novembro 11, 2012

Ser solidário passa por isto

logo330

BE - está de parabéns

João Semedo e Catarina Martins, os novos co-coordenadores da Comissão Política do Bloco de Esquerda. Foto de Paulete Matos.

Ouvi com atenção as intervenções de Catarina Martins e de João Semedo. Gostei do que ouvi. Por isto saúdo o Bloco de Esquerda por esta ousada solução.

*****************************
Também ouvi o comentário do representante do PCP sobre aquela Convenção. Gostei, nomeadamente pela forma educada e cuidada como respondeu ás perguntas, valorizando a ideia de um governo de esquerda, afirmando-se pelo sentimento de unidade que deverá crescer entre os portugueses, como factor determinante para derrotar as actuais politicas e defender o regime democrático.
Também ouvi  o comentário do representante do PS, que esquecendo os PEcs e a assinatura do Memorando Troycano, não só responsabilizou o BE pela ascenção da direita, como repetiu as habituais trêtas sobre o financiamento do país. Postura lamentável, mas que felizmente está em redução naquele partido - basta ler o artigo/carta da deputada europeia Srª Ana Gomes ontem publicada no Público, para se perceber que por lá decorre uma outra refundação.

"REFUNDAÇÃO"

Sinais sinistros...
O Srº Vitor Bento explicou o que o Governo pretende com a "refundação": mudar de regime.

O embaixador de Israel foi chamado ao Ministério dos Negócios Estrangeiros, por ter criticado o facto do governo de Salazar ter decretado luto nacional pela morte de Hitler em Abril de 1945.


quinta-feira, novembro 08, 2012

Ontem ouvi a Chefa do Banco Alimentar

e lembrei-me daquele fadinho "Uma Casa Portuguesa", que colocou o povinho todo a cantarolar,  uma bem disfarçada apologia à pobreza - apesar de tudo, acreditem que eramos todos felizes, por exemplo eu ainda puto, a alegria e felicidade que sentia quando gritava á minha mãe: - a pipa da merda já vem ali !... quase no centro da vila, a nossa casa nem esgoto tinha.
 
Vá à merda Srº Drª Isabel !
... nem que tivesse a sorte de acertar no euromilhões, que me esqueço quase sempre de apostar, daria mais um saco de arroz para o seu Banco, sim! porque a doutorissima é Banqueira de facto, até usa o mesmo discurso do Banqueiro Fernando Ulrich, só que no seu caso, com a benção do inergúmeno do Patriarca. 

Cara Chanceler Merkel, Wass Füder!!!

Divulgamos aqui a carta aberta que um grupo de cidadãos endereça a Angela Merkel, que pode ser subscrita aqui.


Cara chanceler Merkel,

Antes de mais, gostaríamos de referir que nos dirigimos a si apenas como chanceler da Alemanha. Não votámos em si e não reconhecemos que haja uma chanceler da Europa. Nesse sentido, nós, subscritores e subscritoras desta carta aberta, vimos por este meio escrever-lhe na qualidade de cidadãos e cidadãs. Cidadãos e cidadãs de um país que pretende visitar no próximo dia 12 de Novembro, assim como cidadãos e cidadãs solidários com a situação de todos os países atacados pela austeridade. Pelo carácter da visita anunciada e perante a grave situação económica e social vivida em Portugal, afirmamos que não é bem-vinda. A senhora chanceler deve ser considerada persona non grata em território português porque vem, claramente, interferir nas decisões do Estado Português sem ter sido democraticamente mandatada por quem aqui vive.

Mesmo assim, como o nosso governo há algum tempo deixou de obedecer às leis deste país e à Constituição da República, dirigimos esta carta directamente a si. A presença de vários grandes empresários na sua comitiva é um ultraje. Sob o disfarce de "investimento estrangeiro", a senhora chanceler trará consigo uma série de pessoas que vêm observar as ruínas em que a sua política deixou a economia portuguesa, além da grega, da irlandesa, da italiana e da espanhola. A sua comitiva junta não só quem coagiu o Estado Português, com a conivência do governo, a privatizar o seu património e bens mais preciosos, como potenciais beneficiários desse património e de bens públicos, comprando-os hoje a preço de saldo.

Esta interpelação não pode nem deve ser vista como uma qualquer reivindicação nacionalista ou chauvinista – é uma interpelação que se dirige especificamente a si, enquanto promotora máxima da doutrina neoliberal que está a arruinar a Europa. Tão pouco interpelamos o povo alemão, que tem toda a legitimidade democrática para eleger quem quiser para os seus cargos representativos. No entanto, neste país onde vivemos, o seu nome nunca esteve em nenhuma urna. Não a elegemos. Como tal, não lhe reconhecemos o direito de nos representar e menos ainda de tomar decisões políticas em nosso nome.

E não estamos sozinhos. No próximo dia 14 de Novembro, dois dias depois da sua anunciada visita, erguer-nos-emos com outros povos irmãos numa greve geral que inclui muitos países europeus. Será uma greve contra governos que traíram e traem a confiança depositada neles pelas cidadãs e cidadãos, uma greve contra a austeridade conduzida por eles. Mas não se iluda, senhora chanceler. Também será uma greve contra a austeridade imposta pela troika e por todos aqueles que a pretendem transformar em regime autoritário. Será, portanto, uma greve também contra si. E se saudamos os nossos povos irmãos da Grécia, de Espanha, de Itália, do Chipre e de Malta, saudamos também o povo alemão que sofre connosco. Sabemos bem que o Wirtschaftswunder, o “milagre económico” alemão, foi construído com base em perdões sucessivos da dívida alemã por parte dos seus principais credores. Sabemos que a suposta pujança económica alemã actual é construída à custa de uma brutal repressão salarial que dura há mais de dez anos e da criação massiva de trabalho precário, temporário e mal-remunerado, que aflige boa parte do povo alemão. Isto mostra também qual é a perspectiva que a senhora Merkel tem para a Alemanha.

É plausível que não nos responda. E é provável que o governo português, subserviente, fraco e débil, a receba entre flores e aplausos. Mas a verdade, senhora chanceler, é que a maioria da população portuguesa desaprova cabalmente a forma como este governo, sustentado pela troika e por si, está a destruir o país. Mesmo que escolha um percurso secreto e um aeroporto privado, para não enfrentar manifestações e protestos contra a sua visita, saiba que essas manifestações e protestos ocorrerão em todo o país. E serão protestos contra si e aquilo que representa. A sua comitiva poderá tentar ignorar-nos. A Comissão Europeia, o Fundo Monetário Internacional e o Banco Central Europeu podem tentar ignorar-nos. Mas somos cada vez mais, senhora Merkel. Aqui e em todos os países. As nossas manifestações e protestos terão cada vez mais força. Cada vez conhecemos melhor a realidade. As histórias que nos contavam nunca bateram certo e agora sabemos serem mentiras descaradas.

Acordámos, senhora Merkel. Seja mal-vinda a Portugal.

"Decobri que não sou uma pessoa de bem..."

O Presidente da SIEMENS, Srº Carlos Melo Ribeiro, em entrevista a José Gomes Ferreira na SIC, em estilo consentido, doce e lambuzado, afirmou que é essencial o acordo dos três partidos e de todas as pessoas de bem.
Afirmou mesmo que Portugal já enganou a troyca e que a senhora Merkel ainda não percebeu -vinculando-se sempre na sua análise à exclusiva defesa da redução da despesa pública, logo ao aprofundamento das medidas de austeridade, a par de referências ás más politicas dos ultimos trinta anos, conseguindo o fenómeno de quase ao mesmo tempo diabolizar e apoiar os Partidos progenitores do 31 em que o país se encontra.
 
Este senhor, tem a escola toda - nota-se que já interiorizou todo o ideário da multinacional que representa.  A SIEMENS foi um dos suportes do esforço de guerra do nazismo, onde com a Alemanha e vários países destruídos a par de economias destroçadas, finda a guerra, a SIEMENES tinha quadriplicado os seus meios financeiros.
 
Este é mais outro, embora mais polido, igual a Fernando Ulrich, o tal que quer os salários ao nível de bucha e caneca. 

quarta-feira, novembro 07, 2012

Comício Internacional: Esquerda europeia une-se contra a austeridade


A política de austeridade está a mostrar os seus efeitos um pouco por toda a Europa. Este é o momento em que é urgente, na Europa como em cada um dos países que são vítimas da recessão, do desemprego e da pobreza, construir alianças que derrotem esta política. Esse é o primeiro passo para conseguir refundar o projecto europeu em torno dos direitos dos cidadãos e colocar o emprego e o Estado social no centro de todas as prioridades. No próximo dia 9 de Novembro, vai decorrer em Lisboa uma iniciativa sem precedentes em Portugal, em que participarão os dirigentes da Syriza (Grécia), Parti de Gauche (França) e Die Linke (Alemanha) e Izquierda Unida (Espanha). A esquerda europeia une-se contra a austeridade. Não faltes. Partilha este evento e convida os teus amigos. No Pavilhão do Casal Vistoso, Areeiro, Lisboa 

Consulta o mapa aqui: https://maps.google.pt/maps/ms?msid=214253244164246697275.0004ccdfe0ea52e2538a1&msa=0&ll=38.745013%2C-9.128759&spn=0.008284%2C0.01884&iwloc=0004ccdfe456fd3fbbb4b



Logo no dia do discurso ressabiado da vitória

Afirmei-me aqui como um português que desconhecia o Presidente da República.
 
Cavaco Silva que hoje ninguém sabe onde está, não é Presidente da República, ele não serve para nada, é um babaca a quem alguns ainda teimam em dar poderes.
 
Se está em Belém, tirem-no de lá e controlem o património do palácio que é nosso, não vá passar por lá o Duarte Lima, Dias Loureiro ou outros da quadrilha dos amigos do Cavaco, adonando-se do alheio.
 
É estúpido fazer depender de Cavaco Silva soluções para o país.

terça-feira, novembro 06, 2012

Há 4 meses estive num casamento

Ela e ele, jovens quase nos trinta, ela ía de branco embora já de barriguinha, o que não incomodou o padre, aliás, simpático e de boa fala, parecendo-me liberto da paranoia das virgens. Foi uma festa bonita, até dancei.
 
Conheci a casa que foram habitar até antes do casamento, pois andei por lá em trabalho de pinturas, uma boa casa comprada com a ajuda dos pais, das parcas poupanças de gente governada e que sempre trabalhou por conta de outrem, gente sempre com os impostos em dia.  Ambos são licenciados, embora sem vencimentos elevados, em condições de fazer vida  regrada e decente.
 
Neste momento tudo estoirou, valha-nos o apêgo do casal mais o puto que vai nascer - ele já está no desemprego, e ela vai para o desemprego.
 
Isto porque o país há dezenas de anos que anda entregue a ilusionistas, irresponsáveis, sempre no bembom a decidir sobre a vida dos outros, sempre distantes da realidade social, logo dispostos a decisões pela frieza da bitola dos 8 ou 80.
- Mas o puto vai nascer !

A "Quadrilha dos Aldrabões"

u
O colectivo do ArreMacho saúda a iniciativa do Blog Arrastão pela denuncia especializada que está a promover, dando a conhecer os elementos mais destacados da "quadrilha de aldrabões"que iludiram os eleitores no último acto eleitoral.   

segunda-feira, novembro 05, 2012

Ontem o Drº Gralha

Inventou "a discussão do nada" a propósito
do convite do PSD  ao PS, para debater a Refundação.
Marcelo Rebelo de Sousa, ao inventar a "discussão do nada", ardilosamente conseguiu não dizer nada sobre o tema Estado Social. Pois informado que está, sabe muito bem que se trata de uma questão politica pesada, sentida pela maioria da população, logo, emitir a sua opinião mesmo na condição de comentador, seria pôr em risco a sua imagem, a sua ambição de candidatar-se à Presidência da República. 
 
É apenas mais um traste tratante, que até teve a habilidade de proteger Fernando Ulrich, seu amigo, aquele que pretende que os desempregados trabalhem à borla , e que os salários no país fiquem ao nível de bucha e caneca - é que na sua opinião, pode e deve haver ainda maior austeridade.
 
Faltam palavras, para caracterizar gente desta.

A propósito da Natalidade

Hoje logo pela manhã, por via do titulo de um jornal que lançou números a demonstrar o decréscimo da natalidade, ouvi alguns comentários de gente jovem, do tipo:
 
- a casa não sei eu se a consigo pagar!... / - como isto está, seriamos um casal inconsciente se optassemos ter filhos agora.
Estes de entre outros comentários ilucidam bem os factores principais, que explicam o actual baixo indice de natalidade.

Exactamente também ouvi
- quem pôs o país assim, que os faça!...

Pedido de divulgação - Obituário


Aos Órgãos de Comunicação Social
Com pedido de divulgação

  Faleceu José Ratinho


A Comissão Concelhia da Moita e a Comissão de Freguesia da Moita do PCP, cumprem o doloroso dever de informar que faleceu, ontem dia 4 de Novembro, José Manuel de Jesus Ratinho, membro da Comissão Concelhia e da Comissão de Freguesia da Moita do PCP.

O camarada José Ratinho, natural de Alhos Vedros, tinha 43 anos de idade, era operário na Câmara Municipal da Moita.

Desde muito jovem abraçou a luta em defesa da democracia, dos trabalhadores e dos oprimidos, tendo na luta revolucionária sido funcionário do PCP no Distrito de Setúbal. Era actualmente membro da Comissão Sindical do STAL das Autarquias do Concelho da Moita e membro da Direcção Regional de Setúbal do Sindicato dos Trabalhadores das Autarquias Locais. Era também membro da Assembleia de Freguesia da Moita.

Camarada muito querido pelos trabalhadores da Câmara Municipal, por trabalhadores do Concelho e do Distrito a quem dedicou o melhor do seu esforço e luta. A morte de José Ratinho constitui uma enorme perda para a organização e luta dos trabalhadores e para o PCP que deixou de ter nas suas fileiras um militante activo e empenhado. 


O PCP apresenta as mais sentidas condolências à sua família e ao STAL.

Alhos Velhos, 05 de Novembro de 2012


O Secretariado da Comissão Concelhia da Moita
do PCP

sábado, novembro 03, 2012

INTERPOL

Gostava de ajudar a Interpol,  mas sinceramente não sei como. Entretanto eles andam por aí, logo, caso os encontrem informem as autoridades. 

"Revista Mutualista"

 
 
 
 
 
 
(O Ministro das macaquíces)
Já foi uma revista ao serviço do mutualismo, marcada por um ideário republicano liberto de sectarismos de matriz ideológica ou religiosa. Já foi, mas já não é !
Hoje é apenas mais um boletim em apoio dos acolhedores e bufos ao serviço da Ordem dos Troycanos.
 
Felizmente que a Mutualidade da Moita não distribuiu esta revista aos sócios, sabendo-se também, que os Corpos Gerentes não se fizeram representar nas comemorações do dia do mutualismo.
A União das Mutualidades Portuguesas está como a revista comprova, ao exclusivo serviço do actual governo e à medida das desmedidas ambições do seu presidente - que de entre outras coisas, ao estilo Relvas, é um doutor que nunca o foi.
 
Por isto as minhas saudações ao membros dos Corpos Gerentes da Mutua União Moitense, pois ao apartarem-se da prática da lambuzisse, garantiram não só a estabilidade associativa, como apesar da crise, a crescente inscrição de novos sócios.
 
 

sexta-feira, novembro 02, 2012

A CHANCELER vem cá ...

e vai visitar a Auto Europa na companhia de Passos Coelho. Sinceramente desejo que nesta visita tudo corra pelo melhor, ao ponto de não estar disposto a participar em qualquer manifestação de desagrado pela presença de tal senhora - quem quer bajular não só é livre de o fazer, como o deve de fazer sem quaisquer constrangimentos.
Entretanto, aos que se dispôem a lambuzar, solicito que p'lo menos expliquem à senhora que as instalações daquela empresa, custaram ao povo português mais de 90 milhões de contos (450 M€), ou seja, a benéfica realidade para nós de milhares de postos de trabalho, baratinhos ao serviço do capital da chancelaria que governa, claro está! sempre no quadro solidário e cooperante em vigor na União Europeia.
 
Não vou assobiar a senhora. É que mesmo no âmbito da politica europeia, apesar da perigosa ascenção alemâ - não esqueço aqueles que por cá, p'la Europa Connosco, moldaram a economia do país ao jeito do que lhes era imposto, sempre de calcinhas em baixo, destruiram sectores produtivos determinantes (transacionáveis), passando-se a vender menos e a comprar tudo fora. Foram estes que iniciaram a venda da soberania da pátria.
 
Deste modo, Passos Coelho não vai receber a sua congénere alemâ, vai antes de calcinhas em baixo, no papel de Conde Andeiro, receber a Imperatriz do novo Império Alemão.
 
 

As vitais... voltinhas do Vital (2)

Participei no sábado em Anadia (meu município natal), juntamente com Pedro Nuno Santos, o presidente da distrital de Aveiro do PS, num colóquio sobre os desafios e perspectivas da União Europeia, que naturalmente acabou por incidir também sobre a situação politica nacional.
Como era de esperar, dadas as conhecidas posições de cada um, foram duas visões distintas, porém num ambiente distendido, franco e honesto. Dá gosto estar num partido assim, com esta diversidade e com esta liberdade interna.
(escrito por Vital Moreira)
 
Será que escreveria o mesmo se estivesse acompanhado do Campos, aquele das PPpês, do coitadinho que para garantir a educação aos filhos recorre à ajuda dos pais. Ele também integra a diversidade e preenche esse seu conceito de liberdade interna que tanto admira no PS?
 
- lembro-o que como o Campos, arranjo-lhe mais, muitos até como este, pois nesse partido não faltam parentes de fundadores bem assentados na vidinha.

quinta-feira, novembro 01, 2012

João Proença foi elogiado

Registei, embora sem espanto, o elogio do Srº Ministro dos Negócios Estrangeiros, ontem na Assembleia da República, a João Proença/UGT.
 
Também registei, palavra a palavra, o discurso do Srº Ferro Rodrigues/PS ontem proferido sobre o OE e a denominada refundação, por aí a ser cozinhada há bastante tempo.

Lisboa... que amanhece!


Oh! Valentim...

Afinal qual dos mandatos é que o homem perdeu?

Num território onde a decência estivesse naturalmente vinculada à justiça, numa civilização onde a irracionalidade tivesse a dimensão de uma pequena transgressão. Esta pergunta nunca se poderia fazer.
Num caso destes com ou sem morosidade dos tribunais, provando-se os factos para a perca de mandato, o sujeito era imediatamente posto no olho da rua, sem espaço para recurso e proibido de concorrer a cargo similar em território nacional.
 
Mas nesta degenerescente civilização, o Valentim e seus doutores advogados, irão condicionar a justiça na habilideza, não dos factos, mas das datas - acabando tudo prescrito e o Ministério Público a Xuchar no dêdo.

quarta-feira, outubro 31, 2012

Estive hoje na manifestação na Assembleia da República

Sem reconhecer ou ter chefes, tenho um estado maior - o Conselho Nacional da CGTP-IN, cujas decisões acompanho, participando nas acções à medida das condições que vou tendo. Deste modo tenho alinhado em quase todas as manifestações e actividades de esclarecimento e mobilização que a aquela central sindical tem promovido.
É neste quadro que também hoje estive junto da casa da democracia, malgrado pela hora a que cheguei, estava esvaziado - os governantes combinados com a Srª Presidenta, anteciparam a votação para evitar a chatíce das manifestações que estavam convocadas.
 
Esta Srª Presidenta, até muito bem parecida, de facto demonstrou que não tem nível para lá estar, destapou-se, gerando mais um facto nojento da história da República - transformou num ápice a República num navio a afundar, permitindo como sempre, que os ratos fossem os primeiros a sair.
Esta Srª Presidenta, está lá apenas por vaidade e dever favores - é que ainda a poucos anos de deixar de ser menina, ficou reformada com valores milionários, tinha 42 anos de idade - é pois natural sentir-se na obrigação de fazer alguns jeitos, só é pena esquecer a generosidade do Estado Social, que os seus queridos ratos pretendem agora destruir.
 
Mais uma gaija igual áqueles gaijos do governo - não é exemplo p'ra nada.